Menu

Cuidados especiais com a saúde do idoso no verão

Equipe Gero360 em 01/02/2022

blank

É difícil não perceber as altas temperaturas que estamos vivendo neste verão, certo? A estação, que se estende até o dia 21 de março, é um período que pede cuidados redobrados para evitar a desidratação e diversas doenças, principalmente da população idosa. Além disso, durante o verão, e as pessoas buscam opções fora de casa e ao ar livre para se refrescar. No entanto, o pico de contaminação pela nova variante do coronavírus impede que os grupos de risco, incluindo as pessoas idosas, limitam a presença desses indivíduos em espaços comunitários

Quais são os riscos das altas temperaturas para o idoso

Todos nós somos impactados pela elevação da temperatura, no entanto, os indivíduos acima de 65 anos sofrem mais. De acordo com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, a hipertermia, também conhecida como insolação ou choque pelo calor, ocorre quando a temperatura do corpo fica acima de 37,4 graus Celsius. A temperatura regular do corpo é em torno de 36 graus Celsius. Quando há uma elevação, o organismo utiliza várias estratégias para resfriá-lo, como o suor.

Alguns dos sintomas de alerta para a hipertermia são: dores abdominais, contraturas musculares – câimbras, vômito, dor de cabeça, tontura, fraqueza, excesso ou falta de suor, sintomas neurológicos como irritabilidade, alucinações, delírios, convulsões e coma.

Com o processo de envelhecimento, existe uma diminuição da capacidade de se adaptar ao calor. Como consequência, vários outros problemas têm mais chances de acontecer, como insolação, desidratação, câimbras, exaustão, infarto e derrame.

A boa notícia é que, com dicas simples, é possível evitar danos à saúde dos idosos e promover o bem-estar na rotina dessa população. Confira:

1. Ventilação

Além de recomendado devido à pandemia da COVID-19, ambientes bem ventilados nesta época do ano são essenciais para ajudar a manter uma temperatura saudável para todos, principalmente para os idosos. Utilize ventiladores e mantenha as janelas o mais abertas possíveis para garantir uma maior circulação natural de ar. Se a sua instituição recebe muito o sol da manhã e da tarde, uma opção sustentável é investir em plantas. Além de regular a temperatura do ambiente elas ainda ajudam a melhorar a qualidade do ar!

2. Banhos de sol

O tempo ideal de exposição ao sol nessa estação é de 5 a 10 minutos nos horários recomendados: antes das 10h e após às 16h.

3. Mude os horários

Dê preferência para que as atividades que envolvam esforço físico sejam feitas em horários mais frescos, como o início da manhã e o fim da tarde. Assim se evita a exposição ao sol forte (que é comum entre as 10 horas da manhã e as 16 horas da tarde) e, consequentemente, aos momentos de maior calor do dia.

4. Reforce o protetor solar

Em caso de exposição solar, é de extrema importância que os residentes caprichem na proteção solar, com o uso de filtros com mais de 30 FPS e de roupas e chapéus que protejam do sol direto.

5. De olho na hidratação

Um dos piores vilões durante o verão é a desidratação, por isso, vigiar a hidratação de cada idoso é essencial para manter a saúde e o bem-estar deste grupo. Oferecer água, mesmo que em pouca quantidade, com uma grande frequência com certeza irá ajudar a prevenir problemas de saúde. Também é possível investir em opções mais saborosas, como sucos, chás gelados e águas saborizadas, em outras palavras, água com pedaços de frutas diversas e gelo. Ah, vale lembrar que a água de coco é uma boa fonte de nutrientes!

6. Alimentação

comer pouco e várias vezes ao dia auxilia na digestão. Uma alimentação balanceada, junto à maior ingestão de líquidos, é a chave. Aumente o consumo de frutas, verduras e legumes para que as vitaminas, minerais e fibras estejam sempre em dia. Essas também são boas opções para esta estação quente por serem alimentos refrescantes. Além desses alimentos, dê preferência à cereais integrais e à carnes mais leves, com pouca gordura, facilitando a digestão e combinando com pratos mais saudáveis. As refeições devem ser intercaladas com bastante água, entre 8 a 10 copos, segundo a SBGG.

Percebeu sintomas de hipertermia ou outra doença relacionada ao calor? Mova a pessoa idosa para um lugar fresco, deite-a para que repouse, remova roupas apertadas e desconfortáveis. Se o idoso estiver consciente, ofereça água e procure um médico.

Agora que você já sabe algumas dicas para prevenir o mal-estar que o verão pode trazer para a população idosa da sua ILPI, temos mais uma que pode mudar completamente a gestão da instituição: use o sistema do Gero360 para registrar todas as informações importantes sobre a saúde dos residentes! Com o software do Gero360, você simplifica a rotina de cuidados e traz mais segurança para a sua casa de repouso. Clique aqui e saiba mais.