Anvisa condena 200 lotes de medimentos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mandou retirar do mercado cerca de 200 lotes de medicamentos para a hipertensão. Leia o texto e saiba mais sobre isso.

Ana Paula em 05/11/2019

Anvisa condena lotes de medicamentos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mandou retirar do mercado cerca de 200 lotes de medicamentos para a hipertensão. São medicamentos com princípios ativos do tipo “sartanas”, como: a losartana; a valsartana; a candesartana; a olmesartana e a irbersartana.

Esta decisão foi tomada após estudos de agências internacionais e, também, da Anvisa indicarem a presença de impurezas – as nitrosaminas – no princípio ativo valsartana produzido por determinados fabricantes. Os estudos classificam estas impurezas como prováveis ou potenciais carcinogênicos para seres humanos.

Isto significa: (i) que a exposição a longo prazo pode aumentar o risco de se desenvolver câncer e (ii) que não há risco de saúde imediato associado ao uso dos medicamentos à base das “sartanas” que contem essas impurezas.

Por não haver risco imediato à saúde dos pacientes que fazem uso destes medicamentos, a Anvisa alerta:

Os pacientes que tomam medicamentos contendo “sartanas” devem continuar tomando seu medicamento, a menos que tenham sido aconselhados a parar pelo seu médico.

Anvisa

O que fazer caso o medicamento faça parte de um lote condenado? 

A agência lembra que a suspensão de medicamentos só pode ser autorizada pelo médico.  E informa que interromper o tratamento da hipertensão pode produzir malefícios instantâneos, com risco de morte por derrame; ataques cardíacos ou insuficiência renal.

Se você faz uso de medicamentos deste tipo, a Anvisa recomenda consultar a lista de produtos recolhidos, tendo como referência o lote que você está usando.

 

Caso o medicamento em uso esteja na lista é importante:

  • NÃO interromper o tratamento;
  • Procurar seu médico;
  • Conversar com o farmacêutico ao fazer uma nova compra;
  • Substituir o medicamento apenas quando já tiver o novo em mãos

 

Segundo a agência, somos expostos a pequenas quantidades de nitrosaminas diariamente, pois elas estão presentes nos alimentos, na água, e na comida, por exemplo, em carnes processadas e defumadas. Elas também podem ser encontradas naturalmente em vegetais frescos. Essas pequenas quantidades são aceitáveis e não oferecem risco, mas não deveriam estar presentes em medicamentos.

Como verificar o lote de medicamentos de um grande grupo de pessoas?

Se você cuida do estoque de medicamentos de um grande grupo de pessoas, como fazem os gestores das Instituições de Longa Permanência para Idosos (as ILPIs, que são popularmente conhecidas como casas de repouso), tem um desafio em mãos!

Em situações como esta (da condenação de um medicamento), é preciso conferir as prescrições médicas de cada hóspede. Depois, deve conferir o lote de cada caixa de medicamento do tipo “sartanas” usado pelos residentes da casa. É um trabalho e tanto. Em especial, quando a equipe já tem uma série de outras tarefas a cumprir.

Veja na imagem abaixo um exemplo de como a Gero360 pode te ajudar a gerenciar o estoque de medicamentos de todos os seus residentes. Para mais detalhes, agende uma demonstração on-line; gratuita e sem compromisso. Basta nos enviar um whatsapp, clicando aqui.

Gero360 para ILPIs

Com o respaldo técnico e sob a orientação do Dr. Virgilio Moreira (Médico, Geriatra, Mestre e Doutor em Ciências Médicas com foco na área do envelhecimento humano), a Gero360 apresenta soluções para a eficácia e segurança no cuidado de idosos. Desenvolvemos produtos voltados para o gerenciamento de ILPI’s e para o cuidado familiar. Clique aqui e saiba mais.

 

Fontes: 

Nota de Esclarecimento, da Anvisa, quanto a presença de impurezas em medicamentos para hipertensão arterial.

Matéria exibida no Jorna Nacional em 10/05/2019