Quais fatores garantem o bem-estar do idoso?

As ações para promoção do bem-estar do idoso ainda são tímidas no país, embora a expectativa de vida da população aumente a cada ano. Confira, no nosso texto, os fatores que garantem o bem-estar do idoso.

Equipe Gero360 em 11/29/2019

Como garantir o bem-estar do idoso? Com o avanço da expectativa de vida da população, o debate sobre como preservar e estimular a qualidade de vida do indivíduo idoso é cada vez mais necessário. Investir em melhorias na saúde física e emocional dessa população torna-se fundamental para que o envelhecimento aconteça de forma ativa.

A expectativa de vida no Brasil segue aumentando através de avanços na medicina, renda, escolaridade, entre outros fatores. Segundo dados da Organização das Nações Unidas, a expectativa de vida do brasileiro passará de 74,9 para 81,2 anos em 2050.

Em contrapartida, ainda existe um significativo atraso nas ações que promovem o bem-estar do idoso. Para ilustrar, um relatório do Global Age Watch 2014, que analisa a qualidade de vida para idosos em diferentes países, mostra que o Brasil ocupa a 58ª posição em um ranking de 96 nações. O documento considera fatores como expectativa de vida, bem-estar psicológico, renda, transporte e segurança.

O documento Envelhecimento Ativo – Uma Política de Saúde, da Organização Mundial de Saúde (OMS), traz à tona o debate sobre o objetivo deste envelhecimento. De acordo com a organização, ele busca “aumentar a expectativa de uma vida saudável e a qualidade de vida para todas as pessoas que estão envelhecendo, inclusive as que são frágeis, fisicamente incapacitadas e que requerem cuidados.”

Confira alguns fatores determinantes para o bem-estar do idoso:

bem-estar do idoso
  • Comportamental: a adoção de estilos de vida saudáveis e o cuidado com a própria saúde são comportamentos que devem ser estimulados em todas as fases da vida. Não só na terceira idade, mas em todas as fases da vida. Exercícios físicos, alimentação adequada e o uso de medicamentos de forma sábia aumentam a longevidade e a qualidade de vida.
  • Pessoal: o fator genético de cada indivíduo pode ser responsável pelo aparecimento de muitas doenças ao longo da vida que afetam no envelhecimento ativo. Por outro lado, a inteligência e a capacidade cognitiva também são indícios de envelhecimento ativo e longevidade. O declínio do funcionamento cognitivo é provocado pelo desuso, doenças, consumo de álcool e medicamentos, fatores psicológicos e sociais, mais do que o envelhecimento em si.
  • Físico: fatores como moradia segura, ambiente adaptado para evitar quedas, acesso à saneamento, água e alimentos limpos são fundamentais para a promoção do envelhecimento ativo com segurança.
  • Social: Apoio social, oportunidades de educação e aprendizagem permanente e proteção contra a violência e maus-tratos são fatores do ambiente social que estimulam a saúde, participação e segurança do indivíduo.

Em conclusão, pensar em serviços sociais, políticas e ações que estimulem esses fatores voltados para a população idosa exige um esforço de diferentes setores da sociedade: governo, instituições e sociedade. Como mencionamos no post especial sobre o Dia do Idoso, zelar pelos direitos das pessoas idosas significa promover políticas públicas que levam em conta as necessidades dos mais velhos; garantir a não discriminação no ambiente de trabalho; lutar contra os abusos físicos, verbais e psicológicos; contra a negligência e o abandono por parte da família; a exclusão social e o isolamento.

Nós, da Gero360, trabalhamos diariamente para conectar pessoas para uma vida mais longa e significativa. Conheça mais sobre o nosso trabalho aqui.

Fonte:

Envelhecimento Ativo: uma política de saúde (OMS) – http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_ativo.pdf