Menu

Cardápio para idosos na sua ILPI

Equipe Gero360 em 30/08/2022

cardápio para terceira idade

Ter uma alimentação saudável é importante na rotina de qualquer pessoa. Na rotina de cuidados dos idosos não teria como ser diferente. Dessa forma, planejar um cardápio variado para a sua Instituição de Longa Permanência torna-se fundamental para garantir o bem-estar do residente. Além de considerar as principais informações nutricionais dos alimentos, em muitos casos, é necessário também avaliar alguns fatores como, por exemplo, a capacidade de deglutição.

A importância da alimentação saudável para idosos

O envelhecimento é um processo natural, no entanto, traz algumas consequências ao funcionamento do nosso corpo. Na maioria das vezes, com o avanço da idade, o organismo apresenta um desequilíbrio de vitaminas e nutrientes essenciais para a saúde. Neste sentido, alimentos ricos em sódio, por exemplo, devem ser evitados por idosos que apresentam doenças cardíacas e hipertensão – muito comum nesta faixa etária.

Além disso, alimentos processados e industrializados contribuem para o aparecimento de doenças como hipertensão e problemas cardíacos, por isso, devem ser evitados. Por outro lado, alimentos integrais são fundamentais para a prevenção de doenças crônicas. Adicionalmente, uma alimentação rica em vitaminas e nutrientes auxiliam na memória e a manter ossos e músculos fortes.

Como elaborar o cardápio para idosos?

Idosa comendo alimentação saudável com frutas

Para garantir a qualidade e a eficácia dos pratos planejados, é importante consultar um profissional de nutrição, especializado em Gerontologia, para avaliar as necessidades e elaborar o plano nutricional. Confira 4 itens para considerar quando prepara o cardápio dos idosos da sua ILPI:

  • Fracione as refeições em pequenas porções e coma a cada 3 horas;
  • Varie o cardápio e procure oferecer de 3 a 5 porções de frutas diariamente;
  • Garanta o consumo de legumes e verduras todos os dias;
  • Evite o consumo de bebidas alcóolicas
  • Elimine alimentos ultraprocessados, com corantes e/ou conservantes, pois eles dificultam o metabolismo e atrapalham a digestão;
  • Dê preferência para alimentos orgânicos e crus;
  • Invista em alimentos ricos em proteína, grande aliada no fortalecimento muscular.

Gastronomia adaptada

Nos casos em que os idosos possuem limitações para mastigar e engolir, é importante avaliar fatores como a forma de preparo, a consistência, a textura, o tamanho dos alimentos e a quantidade levada a boca. Por isso, algumas alternativas viáveis são ralar, picar em pedaços menores ou moer os alimentos para facilitar o consumo. Dessa forma, evita-se complicações como engasgo, aspiração ou asfixia durante a ingestão dos alimentos.

Recentemente, realizamos nas nossas redes sociais um bate-papo sobre gastronomia adaptada (clique aqui e confira), uma forma de criar alternativas para que as pessoas vivam certas experiências gastronômicas sem perder um componente especial. Confira:

salada saudavel com frutas legumes e folhas

Modelo de cardápio

Como mencionamos anteriormente, para elaborar um cardápio adequado para os seus residentes é fundamental consultar um nutricionista especializado em gerontologia. No entanto, alguns órgãos e instituições disponibilizam modelos com alimentos ideais e orientações para a alimentação dos idosos.

Confira o Guia Alimentar para a População Idosa Brasileira

blank

Quer conferir mais dicas para garantir a saúde dos residentes da sua instituição? Nossa equipe preparou um e-book completo com dicas para prevenção de doenças típicas da estação, alimentação, atividades de lazer e muito mais para você aplicar na sua ILPI. Clique abaixo e baixe agora!