Uma sociedade mais idosa é mais feliz

 Ao envelhecer, em geral, nos tornamos mais felizes e equilibrados emocionalmente para resolver conflitos. Agora, onde encontrar essa tal felicidade?

Ana Paula em 03/20/2019

Casal de idosos felizes

Uma sociedade mais idosa significa uma sociedade mais feliz

Ao envelhecer, nos tornamos mais felizes e equilibrados emocionalmente para resolver conflitos

Criado pela ONU, o Dia Internacional da Felicidade, celebrado todo dia 20 de março, reforça a importância da felicidade como meta mundial e um dos objetivos fundamentais do ser humano. A ONU defende que a felicidade é capaz nos levar à uma abordagem mais inclusiva e equilibrada do crescimento econômico, que promova o desenvolvimento sustentável e o bem-estar.

 

Agora, onde encontrar essa tal felicidade?

 

Há estudos que evidenciam que a felicidade pode ser adquirida a partir de certas práticas. Em geral, as dicas são: simplifique sua vida e e mantenha seus relacionamentos! Pessoas mais felizes têm a habilidade de se renovar entre períodos de estresse e possuem a capacidade de apreciar os pequenos momentos da vida. Talvez, a pergunta certa não seja onde está a felicidade, mas… com quem? Os estudos indicam que a idade traz menos responsabilidades e, consequentemente, mais disponibilidade para viver o momento presente. Ressaltam que a combinação de autoconhecimento; inteligência emocional e a empatia pode levar à uma maior satisfação, especialmente quando temos companhia.

Clique aqui para ler nosso post sobre A Vida Social dos Idosos

No decorrer da vida, as mulheres, com longa e intensa rotina profissional e de cuidados aos seus familiares, adquirem habilidades de enfrentamento e resiliência. Segundo a escritora Mary Pipher, “décadas de experiências levam mulheres a criarem expectativas palpáveis e se empenharem na felicidade como um objetivo”. E, quem sabe, não é à toa que o Dia Internacional da Felicidade acontece no mesmo mês do Dia Internacional da Mulher?

 

Senhora feliz

Mulher idosa serena e feliz

 

Envelhecer leva a maioria das pessoas à estabilidade emocional e à felicidade. A Universidade de Stanford acompanhou 180 pessoas – entre 1993 e 2005 – e identificou que “o senhor mal-humorado” já era assim quando jovem. Isso reforça o fato de que comportamentos ranzinzas e rabugentos não estão relacionados à idade. Estão relacionados à personalidade. A maioria dos idosos já fez as pazes com seus erros e acertos e tem menor predisposição para se estressar. Dessa forma, os indivíduos nesta faixa etária, mais avançada, conseguem resolver questões emocionais de forma mais tranquila, contribuindo para uma sociedade mais equilibrada e em paz.

 

Gostou do nosso texto? Quer ter mais informações sobre este tema? Siga nossas redes sociais e acompanhe as novidades no blog da Gero360. Se você ainda não conhece nossos serviços, clique aqui e saiba mais sobre o nossos sistema de gerenciamento de ILPI’s e o nosso aplicativo.

 

Fontes:

Mulheres vivem mais que homens: https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/02/05/expectativa-de-vida-por-que-as-mulheres-vivem-mais-do-que-os-homens.ghtml

Estudo de Stanford: https://news.stanford.edu/news/2010/october/older-happy-study-102710.html

Mary Pipher para o NY Times: https://www.nytimes.com/2019/01/12/opinion/sunday/women-older-happiness.html

Pesquisa professor Harvard The Science of Hapinness: https://positivepsychologynews.com/news/bridget-grenville-cleave/2014080629622