Cuidar de alguém não pode ser um ato solitário

Criar um círculo de cuidados e dividir tarefas é fundamental para que o ato de cuidar de alguém não se transforme em um ato solitário para o cuidador

Ana Paula em 12/29/2017

Implorando ajuda para cuidar de alguém

Cuidar de alguém é um ato de amor, mas quando se torna uma tarefa solitária e causa isolamento social vira um fardo quase impossível de suportar.

Nos últimos meses, tenho estudado intensamente os assuntos relacionados ao ato de cuidar e seus impactos na vida das pessoas. Me chama atenção o número crescente de “cuidadores solitários”, manifestando suas dores e seus pedidos de ajuda nas redes sociais. Cuidadores solitários são, em sua maioria, mulheres que cuidam de pais, de companheiros ou de filhos que apresentam doenças ou necessidades de cuidados intensivos.

 

A rotina de quem se propõe a cuidar de alguém é pesada e envolve múltiplas responsabilidades.

Dentre a extensa lista de responsabilidades que fazem parte de uma rotina de cuidados, temos por exemplo:

  • Não esquecer de dar a medicação na hora e na dosagem certa
  • Definir e preparar a alimentação adequada. Muitas vezes, é preciso convencer “quem é cuidado” a se alimentar
  • Garantir que a pessoa cuidada está bem hidratada
  • Monitorar, com frequência: glicemia, pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória, dentre outros itens vitais
  • Agendar e participar de consultas e exames médicos
  • Cuidar do estoque e comprar remédios
  • Dar banho, trocar fraldas (geriátricas ou não)
  • Fazer mágica com as finanças para garantir que o dinheiro vai dar até o final do mês

As redes sociais e a tecnologia como aliadas no combate ao cuidado solitário

São muitos os grupos criados nas redes sociais para trocar experiências sobre o ato de cuidar. Muitos grupos nascem para a troca de informação, mas se fortalecem na medida em que é nestes grupos que os “cuidadores solitários” encontram conforto e apoio de quem “fala a sua língua”.

Cuidar não precisa e não pode ser um ato solitário! É preciso dividir tarefas e criar um círculo no qual as pessoas se ajudem e não permitam que o isolamento aconteça.

Se a tecnologia ajuda na formação de grupos, ela também pode ajudar na distribuição de tarefas. O celular, tão utilizado para bate-papo, pode ser uma ferramenta poderosa para o cuidar junto.

Fazendo a nossa parte neste combate

Nós estamos fazendo a nossa parte para ajudar os cuidadores solitários a criarem seus círculos de cuidados.

Desenvolvemos um aplicativo GRATUITO que ajuda a distribuir muitas das muitas tarefas que estão sob a responsabilidade de apenas uma pessoa.

 

Clique aqui para saber mais como nosso aplicativo pode lhe ajudar a cuidar de alguém.

 

Baixe nosso aplicativo!

 

Se tiver dúvida, faça contato com a gente via e-mail ou no nosso Grupo do Facebook.

Espero você lá!

Um abraço, Ana