Tradições do Natal: quais dessas fazem parte da sua história?

O Natal, para a maioria das famílias no Brasil, é sinônimo de encontro, de reunião e de troca afetiva com pessoas queridas. A data é marcada por diversas tradições que foram passadas de geração em geração.

Equipe Gero360 em 23/12/2020

O Natal, para a maioria das famílias no Brasil, é sinônimo de encontro, de reunião e de troca afetiva com pessoas queridas. A data é marcada por diversas tradições que foram passadas de geração em geração. Entre estas tradições temos: as decorações natalinas; a Árvore de Natal; a troca de presentes e a realização da Ceia de Natal. Outro costume recorrente é o encontro de familiares de diferentes núcleos e gerações nas casas dos avós durante os dias 24 e 25 de dezembro. Sabemos que 2020 foi um ano atípico e que, para muitas pessoas, não será possível estar fisicamente junto com familiares, principalmente, com idosos e outras pessoas que se enquadram nos grupos de risco do novo coronavírus. Por isso, queremos revisitar algumas tradições que permeiam os lares brasileiros e que, com pequenos detalhes e particularidades, tornam cada família única.

O Natal no Brasil

O Natal é um dos momentos mais importantes do cristianismo, que celebra o nascimento de Jesus Cristo. Atualmente, o Brasil é um país predominantemente católico, seguido pelos evangélicos. Segundo o último censo demográfico realizado pelo IBGE, em 2010, 64,6% dos brasileiros (cerca de 123 milhões) declaram-se católicos; 22,2% (cerca de 42,3 milhões) declaram-se protestantes (evangélicos tradicionais, pentecostais e neopentecostais). No entanto, apesar de ter um forte caráter religioso, o Natal no Brasil se transformou em um momento de confraternização. Confira algumas tradições comuns em grande parte das famílias brasileiras que comemoram a data:

A Ceia de Natal: variada ou diversa?

A Ceia de Natal acontece tradicionalmente na noite do dia 24 de dezembro, data do nascimento de Jesus. No entanto, há registros de realização da Ceia bem antes do nascimento de Cristo. Antigamente, os banquetes eram preparados para comemorar o solstício de inverno no Hemisfério Norte. Nestes eventos, as pessoas se reuniam para participar da Ceia e para trocar presentes entre os familiares. Outra referência história interessante é que, desde a antiguidade, os europeus tinham o costume de deixar suas portas abertas no mês de dezembro para receber viajantes. Neste período, os peregrinos ceavam com a família e dormiam para seguir a viagem na manhã seguinte. No Brasil, reunir familiares e amigos no jantar do dia 24 de dezembro é uma das principais tradições natalinas. Entretanto, o cardápio da Ceia não é uma unanimidade entre as famílias. Algumas celebrações contam com pratos típicos natalinos, como o peru, que representa a abundância/fartura, e a lentilha, que é sinônimo de sorte para o novo ano. Em alguns casos, as receitas são passadas de geração em geração, remetendo às origens de outras nacionalidades. Existem também as famílias que, por terem um número grande de núcleos, optam pela diversidade da Ceia, na qual cada um colabora com um prato de sua preferência. Assim, cada família leva a sua “especialidade” para que todos contribuam de alguma forma com a Ceia.

A montagem do Presépio

Há registros de que o primeiro presépio foi montado no ano de 1223, por São Francisco de Assis. Nesta ocasião, São Francisco queria mostrar aos camponeses como tinha sido a noite do nascimento de Jesus. No Brasil, a montagem do presépio é uma tradição que simboliza a preparação para a comemoração do nascimento de Jesus. Para as famílias mais tradicionais, a montagem do presépio é feita no 1° domingo do Advento e a desmontagem deve ser doze dias após o Natal, ou seja, deve ser feita no dia 06 de janeiro. Normalmente, o presépio completo é composto por imagens do Menino Jesus, de José, de Maria, de um Anjo, uma Estrela, dos animais e dos três Reis Magos. Todavia, algumas famílias brasileiras investem em uma versão reduzida, com a presença do Menino Jesus, de Maria e de José.

Presentear uns aos outros e a tradição do Amigo Oculto

Outro costume marcante é o ato de presentear uns aos outros no Natal. Principalmente as crianças, que pedem presentes em cartinhas para o Papai Noel. A origem desta tradição associada ao cristianismo diz respeito aos presentes que os Reis Magos levaram para o menino Jesus no seu nascimento. Baltazar, Belchior e Gaspar levaram ouro, mirra e incenso para Jesus. Como falamos anteriormente, o hábito de trocar presentes nesta data também aparece historicamente antes da celebração do Natal. Dizem que a troca de presentes surgiu por volta do século XVIII, quando os povos nórdicos trocavam presentes ao amanhecer para celebrar o pacto com deuses. No entanto, se popularizou só em 1929, durante a grande depressão, época em que a população foi financeiramente afetada. Durante as confraternizações, operários queriam presentear uns aos outros, mas a crise tornava esse desejo muito oneroso. O grupo decidiu, então, fazer a brincadeira que atualmente é conhecida no país como “Secret Santa”. No Brasil, a tradição do amigo secreto permeia, por décadas, os núcleos familiares.

Papai Noel Existe?

O Papai Noel é um personagem inspirado em São Nicolau, bispo de Mira que viveu na região da atual Turquia no século IV. Ele ficou conhecido por ser uma figura extremamente generosa, que costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificuldades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das casas. Ele também era bastante conhecido por distribuir presentes para as crianças no aniversário delas, tornando-se amigo das crianças. Durante muito tempo, a crença no Papai Noel também foi usada para fazer com que as crianças se comportassem ao longo do ano e, no Natal, ganhassem presentes do “bom velhinho”. Algumas famílias seguem a tradição de colocar a cartinha embaixo da árvore e, no dia 25, cercam a árvore com os presentes pedidos pelas crianças da família. Outros vão além e trazem o próprio personagem do Papai Noel.

Em 2020, como ficam essas tradições?

Sabemos que muitas dessas tradições tiveram de ser adiadas ou ressignificadas no contexto da pandemia em que estamos vivendo. A reunião de Natal e o amigo secreto ganharam versões digitais; a Ceia, para algumas famílias, será menor do que nos anos anteriores. Revisitar esses momentos é uma forma de se conectar com essas memórias afetivas. No entanto, acreditamos que, apesar das diferentes histórias e detalhes que compõem cada família, o Natal desempenha o mesmo propósito para a maioria: a união, mesmo que não seja presencialmente. Neste ano, mais do que nunca, a prática de carinho e afeto ao próximo deve fazer parte das nossas celebrações. A equipe da Gero360 deseja um Feliz Natal e Boas Festas para todos. Que 2021 seja repleto de saúde e realizações para todos! Conheça mais sobre a Gero360 aqui. Fontes: Conheça a origem das principais tradições do Natal