Demência: Plano de Ação Global

Conheça as 7 diretrizes do plano de ação da OMS em resposta à demência e saiba como você também pode agir.

Equipe Gero360 em 30/09/2020

A cada 3 segundos, um novo caso de demência é detectado. As estatísticas apontam que em 2030 o número de casos chegará a 74,7 milhões e, em 2050, a 152 milhões. Esses dados evidenciam a importância e a urgência de nos informarmos sobre a demência e de agirmos desde já para preveni-la. Adicionalmente, alertam sobre as melhores maneiras de lidar e de cuidar daqueles que amamos e que, infelizmente, desenvolveram a doença.

 

A demência é uma das principais doenças entre os idosos em todo o mundo. É responsável por causar perdas de memória, prejudicar as habilidades cognitivas, alterar o comportamento e, ainda, interferir na capacidade de realizar atividades diárias. Pensando nisso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou, em 2017, um plano global com 7 áreas de ação definidas e metas a serem alcançadas até 2025. 

1. Demência como prioridade de saúde pública

2. Conscientização sobre demência e Empatia

3. Redução do risco de demência

4. Diagnóstico de demência, tratamento, cuidado e suporte

5. Suporte aos cuidadores de pessoas com demência

6. Sistema de informação sobre a demência

7. Pesquisa e inovação sobre o tema da demência

 

A seguir, vamos tratar resumidamente sobre cada uma dessas áreas de ação e suas respectivas metas globais.

1. Demência como prioridade de saúde pública

A doença atinge direta ou indiretamente uma enorme parte da população e, por isso, essa complexa condição requer uma abordagem de saúde pública abrangente e multissetorial.

Deve ser tratada como prioridade e envolver o sistema de saúde e assistência social (público e privado), outros setores do governo, além das próprias pessoas com demência e seus cuidadores.

 

META GLOBAL 1: 75% dos países terão desenvolvido ou atualizado políticas, estratégias, planos ou estruturas nacionais para a demência, autônomos ou integrados a outras políticas ou planos, até 2025.

Imagem utilizada pela Gero360 para ressaltar a importância da demência como prioridade de saúde pública

2. Conscientização sobre demência e Empatia

A demência não é uma parte natural do envelhecimento, mas, sim, uma doença que deve ser diagnosticada e tratada.

Para deixar de lado os preconceitos, é preciso nos educarmos para reconhecer os sintomas e fatores de risco associados à esta doença.

A fim de garantir qualidade de vida e dignidade às pessoas com demência, seus cuidadores e familiares, devemos criar ambientes comunitários e acessíveis que otimizem oportunidades de saúde, promovendo estilos de vida saudáveis e estimulem a participação e segurança para todos.

 

META GLOBAL 2.1: 100% dos países terão pelo menos uma campanha de conscientização pública para estimular uma sociedade inclusiva até 2025.

 

META GLOBAL 2.2: 50% dos países terão pelo menos uma iniciativa “amiga da demência” para promover uma sociedade mais inclusiva até 2025.1 

3. Redução do risco de demência

Evidências sugerem uma relação entre a demência e fatores de risco relacionados ao estilo de vida. Esses fatores de risco incluem sedentarismo, obesidade, dietas desequilibradas, uso de tabaco, uso nocivo de álcool, diabetes mellitus e hipertensão na meia-idade.

Outros fatores incluem isolamento social, baixo nível de escolaridade, inatividade cognitiva e depressão na meia-idade.

A redução do nível de exposição a esses fatores de risco, potencialmente modificáveis, pode fortalecer nossa capacidade de fazer escolhas mais seguras.

 

META GLOBAL 3: As metas globais definidas no plano de ação global de 2013-2020 para a prevenção e controle de doenças não transmissíveis e quaisquer revisões futuras serão alcançadas.

 

Confira também como as relações sociais saudáveis podem proteger não só o nosso corpo, mas também o nosso cérebro.

4. Diagnóstico de demência, tratamento, cuidado e suporte

Para atender às pessoas com demência, são necessários cuidados integrados.

Neste contexto, é fundamental considerar:

– localização de casos

– diagnóstico

– tratamento (farmacológico e psicossocial)

– reabilitação

– cuidados paliativos de fim de vida

É preciso estar preparado para dar suporte em domicílio, transporte, alimentação e para a realização de atividades significativas.

Vale ressaltar que, além do suporte à pessoa com demência, é preciso apoiar sua família e seus cuidadores.

 

META GLOBAL 4: No mínimo, metade do número estimado de pessoas com demência serão diagnosticadas até 2025 em, pelo menos, 50% dos países.

5. Suporte aos cuidadores de pessoas com demência

As pessoas com demência, muitas vezes apresentam necessidades que acabam por sobrecarregar seus cuidadores, afetando sua saúde física e mental, seu bem-estar e suas relações sociais. Por essa razão, é preciso oferecer apoio de modo a ajudá-los a responder e gerenciar com eficácia as demandas de seu papel de cuidador.

 

META GLOBAL 5: até 2025, 75% dos países devem oferecer programas de apoio e treinamento para cuidadores e famílias de pessoas com demência.

 

Saiba mais sobre o que aqueles que se dedicam ao cuidado do outro enfrentam em seu dia a dia.

Se você é cuidador, temos aqui algumas dicas que podem te ajudar a planejar sua rotina de cuidados.

6. Sistema de informação sobre a demência

O monitoramento sistemático dos níveis de demência na população fornece os dados necessários para orientar políticas públicas, melhorar serviços e avaliar o progresso das medidas implementadas. Além disso, sistemas de informação podem ajudar a educar sobre a prevenção da doença e sobre o planejamento de cuidados para pessoas com demência.

 

META GLOBAL 6: Até 2025, 50% dos países deverão coletar rotineiramente (a cada dois anos) um conjunto básico de indicadores de demência por meio de seus sistemas nacionais de saúde e informações sociais.

7. Pesquisa e inovação sobre o tema da demência

A pesquisa é necessária não apenas para se encontrar uma cura para a demência, mas também para a prevenir, reduzir riscos, diagnosticar, tratar e cuidar. As inovações sociais e tecnológicas, por sua vez, são importantes para que se possa melhorar o conhecimento, as habilidades e os mecanismos de enfrentamento, a fim de facilitar e de apoiar a vida diária de pessoas com demência e seus cuidadores.

 

META GLOBAL 7: Os resultados de pesquisa sobre demência devem dobrar entre os anos de 2017 e 2025.

O plano de ação global sobre a resposta de saúde pública à demência fornece um conjunto de ações para concretizar a visão de um mundo no qual a demência é prevenida e as pessoas com demência e seus cuidadores recebem os cuidados e o apoio de que precisam para viver uma vida com significado e dignidade

OMS (2017)

Como nós estamos fazendo a nossa parte

Se você chegou até aqui, deve ter percebido a importância do papel do cuidador e as diversas demandas relacionadas ao cuidado da pessoa com demência.

Pensando em simplificar a rotina de cuidados, nós, da equipe Gero360, desenvolvemos:

1. um aplicativo para ajudar as famílias a cuidarem de seus idosos em casa.

2. um sistema de gestão de cuidados voltado para as Instituições de Longa Permanência para Idosos.

O app Gero360 é uma agenda de saúde completa e está disponível para download gratuito na App Store e no Google Play. Confira!

Já o sistema de gestão Gero360 para ILPIs tem os objetivos de:

– organizar planejamentos de cuidados;

– aumentar a confiabilidade e reduzir os riscos na execução dos processos;

– dinamizar a troca de informações entre a equipe;

– facilitar a comunicação com as famílias dos residentes;

– e agilizar a tomada de decisão em situações emergenciais.

REFERÊNCIAS

OMS, Organização Mundial de Saúde. (2017). Global action plan on the public health response to dementia, 2017–2025. Geneva. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/259615/9789241513487-eng.pdf;jsessionid=9CC9F55CC0935DAA01CAD2514C8B0F9D?sequence=1